Tipo de Análise de Crédito Para Locação de Notebooks e Outros Equipamentos

Devido a globalização e o crescente significativo nível de inadimplência no país, para pessoas físicas/jurídicas se faz necessário que as empresas utilizem de um minucioso e detalhado modelo de avaliação para a concessão de cadastro/crédito.

Tipo de Análise de Crédito Para Locação de Notebooks e Outros Equipamentos.

Atualmente bancos, empresas e instituições financeiras desempenham um importante papel dentro do sistema mercadológico de uma nação. Sendo o crédito uma das principais operações de qualquer uma destas instituições, ele pode influenciar diretamente na economia.

O objetivo principal de qualquer negócio, é produzir o lucro. Ligado à busca de lucro há uma preocupação com o risco. Contudo, o nível de retorno deve ser pertinente ao grau de risco.

Para tentar evitar isto, as instituições financeiras vêm aperfeiçoando cada vez mais os procedimentos de análise de crédito, visando reduzir ao máximo, já que seria praticamente impossível erradicar a inadimplência.

A análise de crédito por uma instituição financeira, em qualquer circunstância, se torna ainda mais importante ao analisarmos o momento econômico do país. Em um momento de crise, como o que o país está atravessando, aumenta-se o nível do desemprego, o que ajuda a aumentar o percentual de clientes inadimplentes.

Sobre a situação financeira brasileira, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou em uma nota à imprensa, publicada em seu site, que o PIB, Produto Interno Bruto do país, recuou 3,6% no ano de 2016, e outros 3,8% em 2015. Neste contexto de crise econômica, a análise de crédito deve ser considerada fundamental e deve ser realizada criteriosamente.

Diante do exposto, como as empresas, ao conceder o cadastro e crédito, podem minimizar os riscos de inadimplência por meio da análise?

Análise de Crédito:

Crédito é todo ato de vontade ou disposição de alguém de destacar ou ceder, temporariamente, parte do seu patrimônio a um terceiro, com a expectativa de que esta parcela volte a sua posse integralmente, após decorrido o tempo estipulado.

As empresas têm como costume realizar operações somente com pessoas que sejam seus clientes. Quando esses clientes necessitam de recursos, eles recorrem ao banco, que tem como norma elaborar uma análise minuciosa para a concessão do crédito pretendido, baseados primordialmente em critérios pessoais e financeiros. O banco busca com isso colher indícios de insolvência de clientes, pois a preocupação é que a quantia emprestada não retorne mais com os respectivos encargos financeiros, que são juros e correção monetária. O crédito inclui duas noções fundamentais: confiança expressa na promessa de pagamento e tempo de aquisição e liquidação da dívida.

Existem diversas maneiras desta avaliação ser feita, a mais usual é a análise que avalia “os quatro C’s do crédito” que são: Caráter e Capacidade (critérios subjetivos); Capital e Condições (critérios práticos).

O método lógico para analisar cada situação é baseado nos “Cs” de crédito. Embora este método não aborde todo o conjunto de instrumentos disponíveis para a avaliação de riscos e crédito, na realidade ele se constitui numa das ferramentas mais modernas de análise de risco e crédito, voltados para situações concretas.

Existe um quinto “C” na análise de crédito que é Colateral. Também chamado de Garantia, pois trata dos mecanismos acionados caso o cliente não cumpra com suas responsabilidades. A figura seguinte mostra as ramificações da análise de crédito:

Figura 1 – Ramificações da análise de crédito.

Existem outras maneiras para a análise de crédito, cada uma delas conta com modelos de análise de crédito que se adequam melhor à cada situação.

Análise Documental:

Trata-se de uma análise dos documentos que o cliente possui. Essa análise inclui documentos como declaração do imposto de renda, comprovante de identificação (CPF e RG), contas como energia elétrica, água e telefone (fixo e/ou móvel) e contrato social em caso de empresas.

Análise de Idoneidade:

Esta análise busca classificar a idoneidade de uma pessoa e se ela é capaz de cumprir com seus compromissos. A idoneidade é a base para toda análise de crédito, pois se a instituição financeira não considerar o tomador de crédito como capaz de cumprir com seus compromissos não haverá a concessão de crédito.

A análise da idoneidade se caracteriza pela análise do passado da pessoa, para saber se ela já deixou de pagar alguma conta ou se o cliente costuma atrasar o pagamento.

Após a análise, a idoneidade pode ser classificada da seguinte maneira:

  1. Sem restrições: caso o cliente não possua histórico negativo, que comprometa sua situação no mercado, sendo assim, ele paga tudo o que deve com pontualidade.
  2. Alertas – a idoneidade do cliente é assim classificada quando em seu histórico constam irregularidades que já foram quitadas. Neste caso, cabe à instituição financeira decidir se concede ou não o crédito.
  3. Restritivos – nesse caso, o cliente possui histórico negativo, ou seja, já faltou com o pagamento ou atrasou alguma dívida. As chances de concessão de crédito são pequenas.
  4. Impeditivos – estão nesse grupo as pessoas que não podem solicitar esse tipo de serviço devido a proibições legais.

Análise do Negócio:

Esse tipo de análise é restrito para empresas ou pessoas físicas autônomas, quando são os tomadores de empréstimo. Essa análise busca detectar se a empresa é capaz de gerar renda suficiente para cumprir com todos os seus compromissos financeiros.

Análise Econômico-Financeira:

A partir de dados coletados por meio de análises de demonstrações financeiras a análise econômico-financeira é realizada. Este tipo de análise busca conhecer os seguintes fatores:

  • Se o que é gerado do caixa da empresa é suficiente para pagar suas despesas.
  • Se o lucro gerado pelo caixa é proporcional ao lucro que os investidores esperam.
  • Se há dividas. Em casos positivos o motivo, há quanto tempo existe e o valor.
  • Quais são as políticas operacionais e como estas repercutem nas atividades da empresa.

MODELO DE KANITZ:

Este modelo é utilizado para calcular o valor de insolvência. Pode-se afirmar que é utilizado para detectar se uma empresa está falindo ou não. Ele também é chamado de termômetro de Kanitz. Pode ser feito através da seguinte formula:


(0,05RP + 1,65LG + 3,5 LS) – (1,06LC + 0,33GE)

Considerando: RP – Rentabilidade do Patrimônio; LG – Liquidez Geral; LS – Liquidez Seca; LC – Liquidez Corrente; GE– Grau de Endividamento. (KANITZ, 1974)
Figura 2 – Termômetro Insolvência De Kanitz.

Os valores positivos apontam que a empresa está em boa situação, ou seja, solvente, se o resultado for inferior a -3 significa que a empresa se encontra em uma situação ruim, insolvente, e que poderá levá-la a falência, e penumbra entre valores -3 e 0 onde deve-se tomar cuidados. Conforme o índice diminuir maior a probabilidade de falência.

Depois da aplicação da fórmula se chega a uma classificação da solvência ou insolvência da empresa.

MODELO DE ALTMAN:

O risco pode ser calculado usando a seguinte fórmula:

Fator = 1,84 – 0,51X1 + 6,32X3 + 0,71X4 + 0,53X5

Considerando: X1- Ativo Circulante-Passivo Circulante/ Ativo Total X3 – Reservas e Lucros Suspensos/Ativo Total X4 – Patrimônio Líquido/Exigível Total X5 – Vendas/Ativo Total. (ALTMAN, 1999)

O critério de resultado utilizado por Altman foi: empresas com índice Z>0 são classificadas empresas Solventes que podem continuar com suas operações, empresas com índice Z<0 são classificadas empresas Insolventes que passam por problemas sérios.

MODELO DE PEREIRA SILVA:

A fórmula sugerida por Pereira Silva (1982) é a seguinte:

Fator = 0,722 – 5,124X1 + 11,016X2 – 0,342X3 – 0,048X4 + 8,605X5 – 0,004X6

Considerando: X1 = Duplicatas Descontadas/Duplicatas a Receber X2 = Estoque final/Custo das Vendas X3 = Fornecedores/Vendas X4 = Estoque médio/Custo das vendas X5 = (Lucro Operacional + despesas Financeiras) / ( Ativo Total – Investimento Médio ) X6 = Exigível Total/(Lucro Líq. + 10% Imob. Médio + Saldo devedor da Cor. Monet.)

O resultado deve ser avaliado da seguinte maneira: Z > 0, empresa é solvente; Z < 0, empresa é insolvente.

MODELO DE ANÁLISE DE CRÉDITO DO BANCO DO BRASIL:

O presente estudo busca expor os processos de análise de crédito do Banco do Brasil, pois se trata de uma das maiores instituições financeira de crédito do país. O processo de crédito no Banco do Brasil é desenvolvido nas seguintes etapas: 1- Concessão; 2- Condução; 3- Cobrança; 4- Recuperação.

Figura 3 – Processo de crédito do Banco do Brasil

 

Nós da Phonotec efetuamos análise de crédito e cadastro para a locação do nosso portfólio de equipamentos, como notebooks, impressoras, scanners, etiquetadoras e etc.

Dentre os modelos de análise de crédito existentes no mercado e citados nessa notícia, a que a Phonotec mais utiliza no nosso processo de locação são os modelos de ANÁLISE DOCUMENTAL e ANÁLISE IDONEIDADE, onde dependendo do resultado da análise, o cadastro do cliente pode ser reprovado, aprovado ou aprovado com pagamento de valor caução como garantia.